A Paciência e a Tempestade

Ano passado entrei numa oficina de criação literária pois queria aprender a escrever contos. Daí, no primeiro dia me avisaram que aquele semestre só estudaríamos poesia. Droga. Não sei escrever poesia boa, acho tão difícil. Me sinto impostora. Mas aprendi alguns truques nas 5 aulas em que apareci. Segue um dos textos que fiz lá. A ideia era usar palavras com a letra P e o tema era o TEMPO. Segundo a professora o P tem um som oclusivo, fecha o ar, causa impacto.

A Paciência apaga o pretérito imperfeito

a passos de pluma, esparsos e premeditados

A Tempestade persegue os porões dos pecados

com pesadas patas pisoteia, sem piedade

A Paciência pede tempo

e o Tempo, no seu pedestal

é implacável

A Tempestade provoca o tempo

e o Tempo, imparcial,

permanece impermeável

Predomina em mim a paciência

mas com lampejos de tempestade

parece que só o tempo dirá

quem eu sou de verdade